Noticias

Polícia Federal cumpre mandados de busca para desarticular grupo que fraudava licitações em Fortaleza Quiterianópolis

Compartilhe!

Foram mobilizados para a operação cerca de 105 policiais federais e 14 auditores da CGU; prejuízo aos cofres públicos, entre 2015 e 2018, pode ultrapassar R$ 20 milhões

A Polícia Federal cumpre mandados de prisão e mandados de busca e apreensão, nesta quinta-feira (22), em Fortaleza e no município de Quiterianópolis, região do Inhamuns do Ceará. Segundo a polícia, a ação tem o objetivo de desarticular uma organização criminosa responsável por fraudar licitações públicas de obras de construção civil.

A PF informou que o grupo desviava recursos públicos em favor próprio e de terceiros, fraudando também os fiscos federal e estadual. O esquema criminoso, de acordo com a investigação, gerou prejuízo aos cofres públicos, entre 2015 e 2018, que pode ultrapassar R$ 20 milhões.

A Operação Recidiva é realizada em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), e também acontece nos estados Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Rio Grande do Norte.

São cumpridos 8 mandados de prisão temporária, 7 mandados de prisão preventiva, 27 de mandados de busca e apreensão e 17 mandados de sequestro de bens em 10 cidades da Paraíba e as duas cearenses.

Foram mobilizados para a operação cerca de 105 policiais federais e 14 auditores da CGU. Os crimes apurados nesta operação são os de corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa e fraude a licitação, entre outros.

As ordens judiciais foram expedidas pela 14ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Patos/PB, que determinou ainda o sequestro de todos os bens móveis e imóveis dos envolvidos, até o total de R$ 2,3 milhões. O objetivo é ressarcir os danos ao erário público.

Os investigados serão conduzidos à sede da Delegacia de Polícia Federal em Patos, onde serão interrogados.

O nome da Operação Recidiva significa reaparecimento, recaída, reincidência, e faz alusão a prática repetitiva dos mesmos crimes e do mesmo modus operandi pelos investigados, que já foram alvo de ações semelhantes.

DN


Compartilhe!

Comente com Facebook

Dr Andre Luis médico otorrinolaringologista. Mais de 20 anos de experiência. Atende na Laboclínica. 36912167

error: Conteúdo Protegido !!