Noticias

Direção da Escola Olavo Bilac faz esclarecimento sobre denúncia de desaparecimento de estudante da escola

A direção da Escola Olavo Bilac em Crateús nos enviou uma nota falando a respeito do boletim de ocorrência registrado pelo pai de uma menor que teria desaparecido daquela Unidade Escolar.

Entenda o caso:

Nesta terça-feira (12) a polícia civil foi comunicada sobre o desaparecimento de uma jovem da cidade de Crateús. Quem fez o comunicado foi o pai da menor.

O desaparecimento ocorreu na segunda dia 11 por volta das 20:30 na escolinha Olavo Bilac. Desaparecida: Joyce Nepomuceno Vieira,14 anos, filha de Francisco Vieira de Araújo e Ciza Cunha Nepomuceno- residente à Rua Francisco de Araújo Lima 301- Vila José Rosa.

De acordo com informações Joyce e a mãe estudam na Escola Olavo Bilac e a garota que tem problemas mentais,foi colocada para fora da sala de aula, porem ela não procurou a mãe e não deu mais notícias. Observação: Joyce tem aproximadamente 1.60 de seios grandes pele morena cabelos pretos cortados tipo masculino, olhos castanhos. Ela tem problemas mentais.

O pai da mesma compareceu à delegacia de polícia e registrou um boletim de ocorrência.

Na manhã desta quarta a nossa reportagem recebeu uma nota de esclarecimento do diretor da Escola citada.

NOTA DE ESCLARECIMENTO
A Escola de Cidadania Olavo Bilac vem a público se posicionar a respeito de notícia veiculada em meios de comunicação locais sobre o desaparecimento de uma suposta estudante da escola. Segundo informações veiculadas, o pai da jovem Joyce Nepomuceno Vieira procurou a Delegacia de Polícia Civil comunicando o desaparecimento da filha, alegando que a mesma tem problemas mentais, que havia sido exclusa de sala de aula pela professora e desde então não teria retornado a sua residência.
Sobre a situação supracitada, ressaltamos:
• A jovem foi estudante da escola até 2018, sendo que a mesma não está matriculada para o ano letivo de 2019;
• Não consta na escola nenhum laudo médico atestando qualquer transtorno mental da referida ex-aluna;
• O histórico da jovem na escola sempre foi permeado por situações de indisciplina e descaso com os estudos, sendo realizada diversas mediações com a família, inclusive em alguns desses momentos a ex-estudante alegava situações acontecidas fora da escola que evidenciavam a negligência familiar;
• A mãe da jovem em questão, a Sra. Ciza Cunha Nepomuceno, era colega de sala da filha na Educação de Jovens e Adultos em 2018, e na última segunda-feira 11 de fevereiro compareceu à sala de aula noturna, pois a mesma efetuou apenas a própria matrícula, ficando a situação da filha indefinida;
• A Coordenadora Pedagógica da escola, a professora Maria Aurineide Batista Cruz de Paula, em expediente escolar foi procurada pela Sra. Ciza na noite do último dia 11 para que a mesma colocasse a filha em sala de aula, pois ela se recusava a permanecer em sala, mesmo não sendo matriculada;
• De acordo com os profissionais noturnos a ex-estudante, não matriculada, não permaneceu em sala e se ausentou do espaço da escola por volta de 20h e 20min, após o horário em que é servido o lanche, sendo que a mãe permaneceu na escola até findar a aula dando conta que a filha não retornou apenas quando chegou em sua residência.
Sem mais para o momento, nos prontificamos a quaisquer outros esclarecimentos inerentes à escola.
Crateús, 13 de fevereiro de 2019.
____________________________
Francisco Herculano Soares Lima
Diretor

Comente com Facebook

Dr. André Luiz atende na Laboclínica. Ligue e agende sua consulta e exames pelo telefone 3691-2167 ou 99953_3917(WhatsApp)